terça-feira, 15 de setembro de 2015

Swing para tótós

 
E temos mais um fascículo para totós... Desta o Swing (sw).
 
Muito se fala e lê sobre swing.. aliás na realidade swing começou por ser a troca de casais, neste momento é mais uma orgia que outra coisa, pois são poucas as vezes que a troca completa acontece... há que respeitar o próximo, não é não.. e blá blá blá... mas como é que tudo realmente começa? ou acontece?
Devagar... muito devagar... não é de um dia para o outro que de repente um casal resolve passar a ser sw.
 
Antes de mais... tem de ser de comum acordo... "aahhh e tal mas ele/a quer, eu nem estava para aí virado/a".. esqueçam, não vai resultar!
 
Se julgam que essa vai ser a salvação do vosso relacionamento... esqueçam, não vai resultar!
 
Se um dos dois é ciumento, ou, pior, são os dois.... esqueçam, não vai resultar!
 
Tem de partir dos dois, é uma vontade que tem de ser alimentada a dois.. e pôr de lado os ciúmes.. o sw é a simples troca de prazer carnal, não envolve sentimentos.. posso até foder com uns quantos diferentes, mas namorar é com o meu marido... não confundam as coisas.
 
Depois temos vários tipos de sw.. os soft e os hard... os soft são os que é permitido tudo menos a penetração.. os hard, vale tudo menos arrancar os olhos (desde que consentido por todos, daaahhh!!!)
É mais fácil, começar pelo soft.. como eu disse devagar.. muito devagar...

E isto de ser swinger não é propriamente fácil, principalmente se tal como nós não andarem à "caça"e nem tudo o que venha à rede é peixe...
 
Ora vamos pelo caminho mais fácil.. as redes sociais... trocam-se meia dúzia de larachas por mensagem privada, manda-se uma foto ou outra mais provocadora... e lá se combina um café para nos conhecermos ao vivo e a cores, até ali a conversa foi agradável e estávamos em sintonia, só falta  associarmos a personalidade à imagem... chega o dia do cafezinho... o que pode acontecer... sermos avaliados dos pés à cabeça tal carne num talho.. ou os que pareciam serem bons faladores não abrirem a boca para dizer nada e ficar aquele silencio desconfortável... e sempre, mas quase sempre... a ideia que fazemos da pessoa nunca corresponde à realidade...

Depois há os clubes de swing... outra dor de cabeça... pois ou levam companhia.. ou ficam sozinhos num canto.. normalmente todos se conhecem uns aos outros e chega mesmo a haver "confrarias", ou vocês são todos enxutos ou esqueçam lá isso que ninguém se vai meter convosco, afinal vocês são os outsiders!! Nesse caso o ideal é começarem por uma cama comunitária, em que estão vários casais no mesmo espaço.. podem ter ou não sorte no momento..
 
Agora perguntam vocês, "mas afinal como é que vocês se safam?!?"... Mantendo contacto com os mesmos casais e de vez em quando lá acontece esse leque de amizades ir aumentando.

Mas se julgam que é fácil.. a meu ver não, não é!
 
Beijosss da Gaija ;)

5 comentários:

  1. No soft nem sempre é só a penetração que está excluída

    ResponderEliminar
  2. Respostas
    1. Sempre a tentar prestar o melhor serviço público ;)

      Eliminar
  3. Lá está, uma pessoa anda aqui a usar o Google e de vez em quando descobre estas pérolas ;)
    Não podia concordar mais com o teu texto, ser swinger não é nada fácil, eu e a minha mulher frequentamos clubes de swing há mais de 8 anos e até agora "engates" com outros casais contam-se pelos dedos de uma mão e a mão não precisa de ter os dedos todos :)
    É realmente dificil num ambiente de clube conseguir quebrar o gelo com outros casais, pois é como dizes a maior parte já se conhecem e existem os tais clubes dentro dos clubes. Quanto à parte do enxuto aí discordo, da nossa experiência, por norma quem tem mais êxito é quem arrisca e aqui não tem a haver com o aspecto das pessoas, portanto se querem ter experiências interessantes num clube de swing, arrisquem que a maior parte das vezes corre bem ;)

    ResponderEliminar