terça-feira, 21 de julho de 2015

ELEVAR A LINGUAGEM








                A língua portuguesa anda a sofrer de violência doméstica, não só com acordos ortográficos (ou será ortugráficus?) seja nas sms’s (short message service), nas publicações do Facebook ou pior de tudo, na imprensa escrita.

                Além disso, o calão anda a ser demasiado usado, como tal também venho propor algumas mudanças de postura e linguagem!

                Meus senhores e senhoras, quando quiserem dizer “espancar o palhaço”, deveríamos dizer “agredir um profissional de artes circenses”, ou quando se diz “passar o corredor a pano”, porque não substituir isso por “fazer limpeza no local de passagem para outras divisões”?

                Vamos fazer um esforço para nos elevarmos!

Quereis dizer que ides “esgalhar o pessegueiro”? Referência apenas que ides “praticar jardinagem numa árvore de fruto”.

O mesmo se aplica quando faz um pedido, ao invés de dizer “faz-me um broche”, substitua por “realiza-me um acessório decorativo para prender no vestuário”… e certamente terá mais sucesso!

As alternativas não infindáveis, basta procurarmos alternativas, mesmo quando a vida não nos corre de feição. Está furioso e quer fazer uma reclamação? ao invés de dizer que vai lá “armar a puta”, diz que vai “fornecer com armamento uma empresária em nome individual”… Não soa melhor?

Não diga “foda-se”, diga “copule-se”…
“Caralho”? diga “apoio da uretra”…
“Merda” pode ser substituído por “resíduo do sistema digestivo”

Penso que já ficaram com a ideia…
Pode ser que funcione, caso contrário que se copule, mas que é uma ideia filha da puta, é! quero dizer… que é uma ideia descendente de uma empresária em nome individual, é!

Sem comentários:

Enviar um comentário