terça-feira, 5 de maio de 2015

(IN)JUSTIÇA








                A justiça em Portugal podia ser muito melhor e evitarem-se certas injustiças…
                Estou a falar em 300 processos disciplinares feitos a juízes.
                Um deles disse que a escrivã era
“mais burra que os burros”
                Dizem que o senhor é de mau trato e que tem por hábito humilhar os funcionários que trabalham consigo!
                Se houvesse justiça, iria-se fazer um teste de QI à senhora para avaliar a veracidade da afirmação!! Pode-se dar o caso de ela ser realmente burra!
                Mas não… foi logo um processo disciplinar que resultou num castigo exagerado de, e passo a citar, “perda de 60 dias de antiguidade”?!?! Quando li a primeira vez, pensei que fosse um lifting ou algum tratamento de beleza que fez o senhor ficar mais novo, mas foi muito pior que isso… agora tem de trabalhar mais 2 meses antes da reforma!!! vai-se ver lixado!!

                Outro caso, foi de um juiz que fez exactamente o oposto!
                Ao deliberar a sentença, fê-lo da seguinte forma:
“é absolvida a ré fofinha”
                O senhor foi considerado com “incapacidade do foro psíquico”… então? em que é que ficamos?? ou tem mau feitio ou é doido?
                Como diria uma pessoa que conheço… “é-se preso do ser cão ou por não ser…”

                Claro que há outros casos mais graves como foi o caso do juiz que depois do advogado de defesa reclamar, lhe respondeu:
“vá-se queixar ao Totta”

                Uma clara violação de direitos e publicidade gratuita, sendo que na altura daria muito mais jeito ir-se queixar ao BES ou ao BPN.
                A não ser que o Sr. juiz já soubesse que não valia a pena queixar-se a esses dois porque não teriam como ajudar, o que faz com que o caso mude de figura e denota uma grande preocupação e cuidado além de querer o melhor para o Sr. advogado.

                Como se pode ver, até estes magistrados a quem quiseram retirar os telemóveis, são vítimas do sistema, estas injustiças têm de acabar!

                Tem de haver liberdade de expressão nos tribunais para que se possa trabalhar livremente!
                Como por exemplo um advogado protestar e o outro responder a cantar o “Grândola Vila Morena”…
                Pedir “se faz favor” ao “portas” que remova alguém da plateia…
                Poder também usar um chicote a alguém que já venha com algemas!!
                Criticar a indumentária de algum réu (principalmente nos Estados Unidos, que vão de cor-de-laranja para o tribunal)…

                JE SUIS JUIZ 

Sem comentários:

Enviar um comentário